CERES

ASSOCIAÇÃO CRICIUMENSE DE APOIO A SAÚDE MENTAL

ARTIGOS

voltar

O cuidado com o enlutado

Dificilmente encontraremos pessoas que passam pelo processo de luto de maneira branda, perder alguém querido é um momento de grande sofrimento para muitos.  O luto se desenvolve a partir da perda do ente querido e vai até a elaboração, quando a pessoa enlutada retoma para o mundo externo.

Para um luto bem elaborado é imprescindível que se viva todo o seu processo, de maneira geral ele se constitui em cinco estágios: O primeiro é chamado de fase de negação, a pessoa nega a sua perda, muitas vezes não quer falar sobre o assunto, fingindo que não aconteceu. Na segunda etapa vem à raiva, o enlutado se sente injustiçado por estar passando por este sofrimento. Logo após vem a barganha, uma forma de querer amenizar sua dor, o indivíduo passa a negociar, prometendo melhores comportamentos a Deus. No quarto estágio vem à depressão, a pessoa se fecha no seu mundo sentindo-se impotente, neste período, a isolamento é um comportamento comum, a pessoa diminui suas interações sociais, compromissos e atividades até então prazerosas. Já a quinta e a última fase do luto é a aceitação, é o estágio onde não há mais o desespero, o enlutado consegue enxergar a realidade, se abre para o mundo exterior, estando mais receptivo para contatos sociais e até novas atividades.

Assim, lidar com o sofrimento de alguém não é tarefa fácil, ainda mais quando se trata de um luto. Somos programados para ajudar o outro, a nos sentir úteis, de tentar encontrar soluções para o problema. Porém, no luto não há soluções práticas, as nossas palavras de consolo e incentivo pode nos causar a sensação de impotência, já que nem sempre elas são o suficiente para amenizar o sofrimento daquele que acaba de perder alguém.

Então, diante dessa situação, quais atitudes que podem ser tomadas para conseguir ajudar esta pessoa que está sofrendo pela morte de alguém? Antes de qualquer coisa é importante respeitar o momento do enlutado, permitindo-o escolher de que jeito quer passar pelo processo. Mostrar-se presente e interessado pelo seu sofrimento, reconhecer seus sentimentos, faz com que a pessoa se sinta confortável e acolhida. Crie uma atmosfera onde o enlutado possa falar da sua dor sem que se sinta pressionado para estar melhor. Ofereça ajuda, cuide de alguma atividade que a pessoa de luto está com dificuldade de realiza-la proporcionando bem estar e tranquilidade. Pequenos cuidados favorecem ao enlutado melhor compreensão e aceitação da perda, fazendo-o elaborar com eficiência a morte.

 

voltar

GALERIAS DE FOTOS